Governo recebe Fasubra e Sinasefe, mas não negocia pautas das entidades

andes.org.br

Dirigentes da Fasubra e do Sinasefe se reuniram no início da última semana com representantes do Ministério do Planejamento (Mpog), da Educação (MEC) e da Advocacia Geral da União (AGU) para retomar as negociações em torno das pautas de reivindicações apresentadas pelas duas entidades. O encontro após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que inicialmente criminalizou e suspendeu as greves, e, após recurso apresentado pelas entidades, intimou o governo a apresentar uma proposta às categorias e também aos servidores da Cultura.

Na avaliação do Sinasefe, a negociação não evoluiu . Segundo divulgado pelo Sindicato Nacional, “o que deveria ser um encontro para avançar nas pautas que o governo já conhece tão bem, somente serviu para ampliar a indignação e a frustração da categoria quanto ao processo negocial com nosso movimento paredista em curso”.

A única proposta apresentada, segundo o Sinasefe, foi a retomada da mesa de negociação, a partir da próxima quarta-feira (9) para tratar dos itens da pauta, “mas sem nenhuma previsão ou cronograma de quando elas sairiam do papel e mudariam, de fato, nossas vidas dentro de nossos locais de trabalho”.

A Fasubra, de acordo com informe divulgado no portal da entidade, entende que houve a retomada do processo de negociação e também terá nova reunião com representantes do Executivo na próxima quarta (9). Os coordenadores da Federação cobraram do governo a suspensão do processo judicial.

Segundo os representantes dos técnico-administrativos das Universidades Federais, “o objetivo dessa suspensão é resguardar as negociações que vão estar em curso, de qualquer decisão do STJ que possa surpreender negativamente processo negocial, já que o processo judicial continuará tramitando normalmente”. Além disso, os dirigentes da Fasubra ressaltaram também que era necessário que não houvesse retaliações nas bases, pois algumas reitorias insistem na política da perseguição de militantes e grevistas.

Greves

O Comando Nacional de Greve da Fasubra indicou às bases, no final de junho, a suspensão da greve que teve início em março. Já o Sinasefe realizou na última semana sua Plenária Nacional, que indicou a suspensão da paralisação, iniciada em abril, para o dia 10 de junho.

*Com informações da Fasubra e Sinasefe