Metroviários do Brasil e do mundo se reuniram no 3º Encontro Internacional

sindmetrope.org.br

Metroviários do Brasil e do mundo se reuniram durante quatro dias, em Boa Viagem, para debater soluções sobre os diversos problemas que atingem trabalhadores e usuários do metrô, em particular no Brasil, referentes à privatização e a estadualização da CBTU e da Trensurb.

No encontro foi aprovada uma importante resolução que vai ser transformada em uma carta aberta. Este documento será distribuído no dia 29 de maio para toda população dos países, estados, e sistemas operados pelos metroviários que estiveram presentes no 3º

Encontro Internacional, apresentando suas propostas de reivindicações.

Essa carta vai denunciar o processo da privatização e a importância do reconhecimento do transporte público como um direito social não negociável.

No encerramento também foram aprovadas outras resoluções como: uma moção, e uma denúncia contra o assédio sexual que as companheiras trabalhadoras sofrem no uso do transporte público que agride diariamente a categoria feminina.

Outras resoluções aprovadas pelos metroviários foram as questões da saúde ocupacional, destacando a importância de preservar a vida dos metroviários no seu local de trabalho.

Os trabalhadores também colocaram na pauta uma ação de apoio e solidariedade aos companheiros metroviários da Colômbia que depois de vinte anos conseguiram montar um sindicato, e por conta disso sofrem com a falta de respeito vinda dos administradores da empresa que gerencia o metrô de Medellín.

“Vamos incorporar toda luta no dia 28 de abril. Este dia será de denúncia das condições de trabalho, dos riscos no trabalho, acidentes, e doenças ocupacionais para integrar – junto com todo movimento sindical / internacional – a luta pela melhoria dessas condições trabalhistas”, ressaltou Wagner Fajardo, Secretário Geral da União Internacional de Sindicatos de Trabalhadores em Transportes (UIS Transporte).

Segundo o presidente do Sindmetro/PE, Diogo Morais, esses problemas que atingem os metroviários de outros países são os mesmos que prejudicam os trabalhadores do Brasil. O presidente também afirma que encontros como esses são importantes para que haja um intercâmbio e uma integração maior entre a classe.

“Pudemos trocar diversas experiências com metroviários do mundo inteiro, e percebemos que os problemas são os mesmos que nos atingem aqui no Brasil. Levamos como experiência desse 3º Encontro Internacional a necessidade desse tipo de integração entre nós, metroviários do Brasil e do mundo”, afirmou.

Metroviários do Brasil e do mundo se reuniram no 3º Encontro Internacional