EDUARDO LEITE É CORREIA DE TRANSMISSÃO DAS POLÍTICAS NEOLIBERAIS DE BOLSONARO!

Em 2018, deparando-se com o cenário desenhado para o segundo turno das eleições, cuja disputa se dava entre José Ivo Sartori e Eduardo Leite, o Partido Comunista Brasileiro no Rio Grande do Sul decidiu pelo voto nulo. A decisão foi marcada pelo entendimento de que tanto o governador à época – que se associava a Jair Bolsonaro – quanto Eduardo Leite, seu opositor, ao assumirem a gestão do estado do Rio Grande do Sul, seriam correia de transmissão das políticas neoliberais que marcam a quadra histórica em que estamos no Brasil.

Não deu outra. Quase completando um ano de gestão, Eduardo Leite vem se colocando fatidicamente como transmissor das políticas de Paulo Guedes, que estrangulam a economia para os trabalhadores, com a completa destruição de postos de trabalho, descaso com o poder de compra, o salário e a promoção de políticas de combate ao desemprego e, ainda, com a destruição dos serviços públicos em prol do favorecimento, principalmente, de banqueiros, setores varejistas e ruralistas que hoje comandam a política e a economia no país.

Favorável à Reforma da Previdência, Eduardo Leite sagrou-se vitorioso nas eleições com um discurso tecnicista de gestão de governo e, a partir da defesa de existência de uma crise fiscal, negociou o apoio às políticas neoliberais do governo federal e apresentou, mais recentemente, uma proposta de Reforma Estrutural que visa, principalmente, “reduzir os custos da máquina pública”.

O que carece de esclarecimentos, entretanto, são os desdobramentos de tais reformas para os serviços públicos, que costumam vitimar a infraestrutura e o atendimento das diversas necessidades dos trabalhadores, nesse caso, gaúchos.

Em combate a isso, a Frente de Servidores Públicos convoca a todas e a todos para, no dia 14 de novembro, se somar às mobilizações que ocorrerão na capital Porto Alegre!

Às 13h30 da quinta feira, depois das assembleias a acontecerem pela manhã, o funcionalismo público no Rio Grande do Sul se encontrará no Largo Glênio Peres, seguindo em marcha até o Palácio Piratini para protestar contra as propostas do governo de Eduardo Leite. A Unidade Classista convoca toda a militância, amigas e amigos, para compor os atos em defesa dos serviços públicos.

Urge avançar na organização da classe trabalhadora para garantir não só o recuo das políticas neoliberais que correm a passos largos em todo Brasil, mas no sentido da construção de uma ofensiva de todas e todos que produzem a riqueza do país e não devem se sujeitar às migalhas dispostas pelas classes dominantes e seus operadores políticos como Eduardo Leite, expressão desses projetos antipopulares no Rio Grande do Sul!

📢 Defender o funcionalismo público, gratuito e de qualidade.
🚩 Avançar na organização das trabalhadoras e trabalhadores!
Em defesa do socialismo e pelo poder popular!
🚫 Dia 14 de novembro nos encontramos nas ruas.

EDUARDO LEITE É CORREIA DE TRANSMISSÃO DAS POLÍTICAS NEOLIBERAIS DE BOLSONARO!