DENÚNCIA – NOTA DE REPÚDIO – O MAPEAMENTO POLÍTICO EM EMPRESAS PÚBLICAS, O PERIGO DO NEO MACARTISMO À BRASILEIRA

No período histórico após o fim da Segunda Guerra Mundial, o confronto político e ideológico entre Estados Unidos (Capitalismo) e a antiga União Soviética (Socialismo) ficou conhecido como Guerra Fria. Nesse contexto, o senador norte-americano Joseph McCarthy articulou uma campanha de combate aos adversários políticos dentro dos EUA, perseguindo todos os comunistas em território nacional.

Acompanhamos agora no Brasil uma ação tomada pela deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), que solicitou da Empresa de Correios e Telégrafos do Brasil (ECT – Correios) a lista nominal e das funções de todos os trabalhadores filiados a partidos políticos para realizar o mapeamento político desta empresa.


Clique na imagem para abrir o texto

No e-mail encaminhado para a deputada, o interlocutor faz a contabilidade das pessoas filiadas a partidos de esquerda, colocando de forma acusatória que são essas pessoas de forma direta ou indireta que impedem o desenvolvimento do Brasil por serem supostamente adversários políticos do presidente e do atual governo federal.

O artigo 14 da Constituição Federal garante a todos os brasileiros o exercício de seus direitos políticos. Porém, são vários os sinais que indicam que estamos beirando um Estado de Exceção. Essas medidas tomadas para colher dados, cruzar informações e identificar aqueles que são considerados adversários políticos para depois atacá-los são comuns em alguns regimes políticos que a história identifica como fascistas!

Repudiamos essa atitude da deputada federal Bia Kicis e a sua pretensão de reprimir os 1.273 filiados a partidos de esquerda que foram identificados nessa listagem e que agora estão na mira do atual governo federal.

DENÚNCIA – NOTA DE REPÚDIO – O MAPEAMENTO POLÍTICO EM EMPRESAS PÚBLICAS, O PERIGO DO NEO MACARTISMO À BRASILEIRA