FSM: todo apoio à luta do povo húngaro contra a “lei da escravidão”

A Federação Sindical Mundial manifestou, em nota divulgada no dia 18 de dezembro de 2018, o seu apoio à luta dos trabalhadores húngaros contra o projeto de lei que obriga os trabalhadores a fazer horas extras. A íntegra do texto segue abaixo:
A Federação Sindical Mundial, representando mais de 95 milhões de trabalhadores em 130 países, se une aos trabalhadores húngaros em sua luta contra a recente iniciativa legislativa do governo nacionalista de Orban, que permitiria aos empregadores forçar os funcionários a fazer mais horas extras.
Os trabalhadores, em diversas manifestações, chamaram justamente a medida de “lei da escravidão”, porque permitiria aos empregadores reivindicar 400 horas extras por ano, o que adicionaria mais duas horas a um dia de trabalho normal, o equivalente a um dia extra de trabalho por semana.
Conclamamos a classe trabalhadora húngara a intensificar sua luta contra as medidas antipopulares desse governo que age sob as ordens dos capitalistas. A proteção e a extensão dos direitos dos trabalhadores é uma questão que preocupa toda a classe trabalhadora, e o movimento sindical classista internacional está firmemente posicionado ao lado dos trabalhadores húngaros.

FSM: todo apoio à luta do povo húngaro contra a “lei da escravidão”