NOTA DA UNIDADE CLASSISTA SOBRE A DEMISSÃO DOS COBRADORES DE TRANSPORTE PÚBLICO EM FORTALEZA

Imagem distorcida (pintura) com os cobradores paralisados em frente a empresa de transporte em protesto pelo ato deliberado de demissão dos trabalhadores desta categoria.

A Unidade Classista vem a público repudiar o projeto de demissões aos cobradores de transporte público em Fortaleza, uma articulação da patronal, através do Sindiônibus, com a Prefeitura Municipal, onde o prefeito Roberto Cláudio (PDT) se nega a conversar com a categoria para barrar a proposta, que segundo o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro) deverá demitir 4500 trabalhadores.

 

O projeto da prefeitura, atendendo aos interesses da patronal, visa a implantação de ônibus que aceitam apenas pagamento eletrônico da tarifa, onde a função de cobrador será extinta. Com isso, teremos aumento do desemprego na capital, pois os patrões não estão preocupados com o futuro dos cobradores. Isso prova que a crise do capitalismo não busca saídas para a classe trabalhadora, onde a tecnologia tem sido usada para o benefício e o lucro das empresas, não para o bem-estar do povo.
Assim como a mudança da catraca para a frente do ônibus, todas as mudanças feitas pelos patrões mostram que o interesse é de proteger seus lucros, mesmo que isso interfira na qualidade do serviço de transporte público. Com o crescimento da violência nos centros urbanos, onde aumentaram os casos de assaltos nos ônibus, tais mudanças não causam efeito, tendo em vista que o interesse dos ladrões está em assaltar os passageiros.
Ao invés de garantir o aumento da frota e a recolocação dos cobradores como motoristas, a saída está alinhada com a situação política nacional, onde o próximo governo de Jair Bolsonaro (PSL) aprofundará as medidas do atual governo Michel Temer (MDB) de retirar os direitos dos trabalhadores para saciar a sede de lucro dos grandes empresários. Essa movimentação deverá aprofundar o grau de trabalho precário, os baixos salários e o índice de desempregados. Nesse momento, urge a necessidade de unificar as categorias, a classe trabalhadora como um todo, na construção do Encontro Nacional da Classe Trabalhadora (Enclat), para organizar as lutas que virão.
Portanto, a Unidade Classista reitera o apoio à luta dos cobradores de ônibus em Fortaleza e convoca as demais categorias em solidariedade para marchar junto e dizer não ao projeto do prefeito Roberto Cláudio e dos patrões. Lutamos por um transporte público, gratuito e de qualidade, bem como a garantia dos direitos dos trabalhadores e pela manutenção do emprego.
Contra a precarização dos trabalhadores!
Contra o desemprego!
Ousar lutar, ousar vencer!
NOTA DA UNIDADE CLASSISTA SOBRE A DEMISSÃO DOS COBRADORES DE TRANSPORTE PÚBLICO EM FORTALEZA