Demissões em massa da LATAM expõe os prejuízos da Reforma Trabalhista para a classe trabalhadora

Na segunda-feira passada (20), a companhia Latam Airlines, maior grupo de transporte aéreo da América Latina, anunciou terceirização de serviços com a demissão de aproximadamente 1,3 mil trabalhadores dos aeroportos internacionais de Guarulhos (SP) e Tom Jobim (RJ).

Os serviços terceirizados foram dos setores de Ground Handling, que são de rampa e limpeza, gestão de equipamentos de solo (GSE) e atendimento a clientes com bagagens perdidas ou danificadas (Lost Luggage).

Em entrevista, o dirigente da FENTAC (Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil), Orisson de Souza Mello, afirmou que apesar de o contrato ainda não ter vigência, já há terceirizados trabalhando. Como agravante, o sindicalista informou ainda que os novos contratados não estão utilizando EPI (equipamento de proteção individual) em seus postos de trabalho.

Com o intuito de reduzir o número de funcionários, salários e direitos, a empresa lucra cada vez mais. Em contrapartida, a rotatividade mais constante e consequente precarização do trabalho prejudicam os serviços e expõe trabalhadores e usuários do sistema a riscos.

Diversas entidades do movimento sindical já vêm denunciando os problemas que a reforma trabalhista e a Lei das Terceirizações causarão para a vida dos trabalhadores e trabalhadoras. A UC e o PCB, em 2017, já afirmava que “esse ciclo de ataques, o mais brutal e destrutivo que a classe trabalhadora brasileira já vivenciou, irá aumentar sensivelmente o grau da precarização no mundo do trabalho, fazendo crescer a miséria, a desigualdade e a violência social em todos os seus aspectos. Ao contrário do que vem pregando a mídia burguesa, muito mais desempregados somar-se-ão aos quase quinze milhões já existentes”.

Fonte: CSP-Conlutas e FENTACT

Demissões em massa da LATAM expõe os prejuízos da Reforma Trabalhista para a classe trabalhadora