Triunfou a política classista entre os docentes das IES!!

Primeiramente, gostaríamos de saudar todos/as militantes que ajudaram, cada um conforme suas possibilidades, para a obtenção desta importante vitória que se projeta para além do movimento docente. Podemos dizer que, não sem dificuldades, fizemos nossa parte neste complexo processo de reorganização das forças dos/as trabalhadores/as e do campo da esquerda. Nós, da Unidade Classista, contribuímos junto com a abnegada militância do coletivo “Andes de luta e pela base” e centenas de outros docentes independentes, nesta importante vitória que nos deixa orgulhosos. Este fato, inegavelmente, acrescente responsabilidades políticas para todos nós e toda nossa militância. Parabéns!
O primeiro destaque é para o triunfo da política de unidade sindical contra a política divisionista do Proifes e do Fórum Renova Andes. Fazendo o balanço dos últimos anos, de duros enfrentamentos com os governos que retiram direitos, os/as professores/as
laudaram, nesta eleição, que a forma de enfrentamento é através da unidade e da luta. É uma unidade que pressupõe a diversidade e o pluralismo no interior da organização sindical. Vimos na prática a antiga sabedoria que afirma a força da unidade ou, como dizia o grande mestre, que fez recentemente 200 anos, no Manifesto Comunista, junto a seu camarada Engels: Trabalhadores do mundo, uni-vos!
Venceu a política da Autonomia e da Independência de classe. Os/as trabalhadores/as não aceitamos ser correia de transmissão dos governos, das reitorias nem de partidos políticos oportunistas. Queremos ser atores, sujeitos das nossas próprias decisões. Isto
não quer dizer ser apartidário, o que é um equívoco muito grande que desarma os/as trabalhadores/as para à luta política.
A votação também indica que temos a importante tarefa de enraizar o sindicato na base da nossa categoria para que esteja mais presente no cotidiano dos locais de trabalho e para que ganhe maior credibilidade como interlocutor legítimo das demandas docentes.
A votação foi importante, porém, sabemos, pelo diálogo com nossa base, que esta é uma das principais tarefas do sindicato.
Também fica claro que a política de unidade da classe trabalhadora com outros sindicatos e movimentos sociais precisa ser fortalecida e avaliada, de forma criteriosa eresponsável, na perspectiva da reorganização da classe e visando a construir processos de realização do ENCLAT. Infelizmente a central à qual nosso sindicato está filiado, mais uma vez, não esteve à altura das suas responsabilidades e das expectativas do movimento docente reincidindo no isolamento, a claudicação ideológica e o imobilismo político.
Passado o pleito eleitoral, temos que aprofundar as avaliações e trabalhar muito para unir e fortalecer o sindicato. Precisamos aprofundar as análises em cada Seção Sindical e em cada Secretaria Regional, buscando identificar problemas e empreender o trabalho
de superação das dificuldades que, sabemos, não são poucas.
Este triunfo, num momento tão difícil da conjuntura, nos dá renovadas energias para fortalecer nosso trabalho de construção da Unidade Classista, de contribuir com necessária organização do coletivo “Andes de luta e pela base”, assim como de defender a universidade pública, fazendo-a avançar pela perspectiva do poder popular!

Por uma Universidade Popular!

Avançar na construção do ENCLAT!

Unidade Classista, futuro socialista!

Triunfou a política classista entre os docentes das IES!!
Classificado como: