Direitos trabalhistas ficam, FORA TEMER!

 

Ontem a Câmara dos Deputados deu mais um passo em sua vergonhosa trajetória de subserviência aos interesses empresariais. 296 parlamentares, capachos da burguesia, votaram pela aprovação de uma contrarreforma trabalhista que desmonta direitos conquistados pelos trabalhadores desde a década de 1930. Apelando para o discurso da “modernização” das leis, a base aliada do governo Temer na realidade tem feito todos os esforços para promover uma verdadeira volta ao século XIX em termos de direitos sociais e trabalhistas.

Principais efeitos da contrarreforma:

  • Acordado sobre legislado: permite que empresas e sindicatos realizem “acordos” para substituir leis, de modo que os trabalhadores, ameaçados pelos patrões, possam abrir mão de direitos;
  • Parcelamento das férias em até três períodos;
  • Ampliação da jornada de trabalho diária;
  • Diminuição do intervalo para almoço;
  • Criação da jornada intermitente: libera contratos de prestação de serviços com interrupções;
  • Gestantes e lactantes terão de trabalhar em atividades insalubres;
  • O trabalhador será demitido com mais facilidade.

Amanhã, porém, a classe trabalhadora responderá a altura a mais este golpe do Parlamento contra o povo brasileiro. Vamos parar o Brasil e dar um recado bem claro ao governo: não aceitaremos que uma cambada de corruptos, eleitos através de “caixa dois” e relações espúrias com grandes empresas, destruam os direitos que conquistamos com tantas lutas.

No ano em que se completa um século da primeira greve geral no Brasil, os trabalhadores vêm retomando seu protagonismo na disputa pelos rumos do país e criando as condições para avançar no processo de reorganização da classe.

28 de abril de 2017 poderá ficar marcado como um dia decisivo não só na defesa de direitos históricos como o início de uma virada na atual correlação de forças, rumo ao fortalecimento de um bloco classista no movimento sindical e de uma alternativa socialista para o Brasil!

 

Contra as reformas trabalhista e da previdência!

Fora Temer!

Por um Encontro Nacional da Classe Trabalhadora.

Unir as lutas para emancipar a classe!

 

Direitos trabalhistas ficam, FORA TEMER!