Barrar os ataques de Pezão e Temer

Carta aberta do Comitê Estadual de Educação Básica da Unidade Classista à base do SEPE/RJ

Os ataques dos governos Temer e Pezão, com o apoio do STF, contra os direitos da classe trabalhadora em geral e contra os servidores públicos em particular agridem a nossa dignidade e sobrevivência material. A PEC 55, a PEC do fim do mundo, congelou os investimentos públicos por 20 anos para pagar a dívida pública (3,11 trilhões de reais). A proposta de reforma da previdência acaba com a nossa aposentadoria especial, passando para 65 anos a idade mínima para a aposentadoria. Tramitam no Congresso projetos de lei que alteram as leis trabalhistas – a terceirização de atividade-fim e o negociado entre trabalhadores e patrão valer mais do que a legislação.

Com a benção do STF, Pezão fechou acordo com Temer para ajudar a tapar o rombo financeiro do estado provocado pela farra promovida pelo presidiário Sergio Cabral e Pezão. O pacote de maldades do governo do estado contra os servidores públicos voltará a ser apresentado para aprovação na ALERJ, agora com o aval e pressão do governo Temer, que condiciona a ajuda mediante aprovação do pacote. Retorna com força o aumento de 11 para 14% da contribuição previdenciária, que pode passar a 20 a 22% para os servidores da ativa que ganham mais de 5.579 reais. Nós, profissionais de Educação do RJ, vamos para o terceiro ano sem reajuste salarial. Com a inflação dos últimos anos, nossas perdas salariais superam os 20% e, considerando os baixos salários da nossa categoria, estaremos numa situação bem crítica com mais esses descontos nos nossos salários. Sem reajuste, sem 1/3 de planejamento, sem direito efetivo à licença especial, sem triênio e com salas lotadas, certamente a nossa categoria vai adoecer mais ainda.

Neste quadro difícil, a nossa união é fundamental para enfrentar e derrotar esses ataques. E o Sindicato é a nossa trincheira de luta. Temos que fortalecer material e politicamente o nosso sindicato. É importante se filiar ao SEPE e promover a eleição de representantes de escola. Neste ano teremos o Congresso do SEPE, onde vamos avaliar nossas lutas, discutir nossas questões específicas e gerais, e traçar os rumos do nosso movimento, construir novos caminhos para barrar esses ataques aos nossos direitos e avançarmos na defesa da educação pública gratuita, laica e de qualidade.

Nós, da Unidade Classista, defendemos um sindicato organizado pela base e que lute intransigentemente pelos interesses dos trabalhadores, sem ilusões no parlamento e no judiciário. Somente organizados e mobilizados poderemos fazer frente aos tempos difíceis que estamos atravessando.

SÓ A LUTA MUDA A VIDA!
O SEPE SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ!
FILIE-SE AO SEPE.

Barrar os ataques de Pezão e Temer